15 de julho de 2014

Stratus - Estrela

José Antonio L. Camargo

Stratus foi um brinquedo de controle remoto produzido pela fábrica de brinquedos Estrela.

Foi lançado em 1979, sendo o primeiro carro de controle remoto fabricado pela empresa, uma réplica do Lancia Stratos, em uma versão preparada para Rali, que tinha faróis de milha na sua frente.
Possuía sistema de sete posições, com o controle remoto com dois botões e quatro funções, e marcha a ré automática (que era acionada quando o carro encontrava algum obstáculo, sistema semelhante ao dos carros de bate-volta) dando ampla liberdade de navegação para o usuário.
Disponível nas cores branca (que tinha o nº 5, e vinha na frequência de 27 MHz) e vermelha (que tinha com o nº 8, e frequência de 40 MHz). O carro ainda contava com faróis escamoteáveis que se acendiam e ronco de motor.

Seu concorrente era o Spectro da Mimo, uma réplica do Lamborghini Countach, o Porsche 935 e o próprio Lamborghini Countach, estes dois últimos fabricados pela Glasslite. O primeiro possuía o sistema de Canal Duplo (indo para frente e para ré em círculos), e os dois últimos iam para os lados, mas somente para frente. Todos obtiveram boa vendagem na época de fabricação.

Embora o Stratus fosse superior em qualidade, e superior em vendas aos seus concorrentes, seu projeto era demasiadamente caro para os padrões da Estrela, que bancou praticamente sozinha o projeto do brinquedo, e teve que arcar com os royalties caríssimos para a Lancia, a montadora italiana que fabricava o carro real. Os termos do pagamento do uso da licença não foram divulgados na época. Isso fez com que a Estrela não tivesse prejuízo com a venda do brinquedo, mas seus lucros poderiam ter sido maiores se não fosse o pagamento quase que predatório da licença de uso.

Para prosseguir adiante com as vendas do brinquedo, que era o único modelo de controle remoto da empresa, foi produzida uma nova versão que era dita de competição. Se era de competição, não há dados para afirmar, mas esta nova versão, tinha adesivos com patrocinadores, como as indústrias de autopeças Varga, Champion e Cibié, bem como a Distribuidora Petrobrás, que utilizou a marca de lubrificantes Lubrax para patrocinar o brinquedo. Aí sim, o brinquedo deslanchou nas vendas, e teve até uma sensível reduzida no preço final ao consumidor.

Deixou de ser produzido em 1983, para ser substituído pelo Pégasus.

Hoje, o Stratus é objeto de desejo de colecionadores, sendo muito disputado por estes, e é um dos carros de controle remoto de preço mais acessível, em contraste com os modelos de controle remoto lançados posteriormente.

Também foi lançada a versão bate-volta do brinquedo, chamado de Turbo Rally, que vinha na cor preta e número 58.






Nenhum comentário:

Postar um comentário